Skip to content

Power Rankings de Pré-Temporada: Conferência Leste

15/09/2010

Após a bela análise da pré-temporada do “Wild Wild” Oeste, feita pelo nosso amigo Fábio B.I.G., chegou a hora da contra-partida do Leste. Eu – Jay Ernani – como responsável pela Conferência Leste, trarei a vocês os Power Rankings de Pré-Temporada do lado leste da NBA. Vale a pena ressaltar que os Power Rankings do NBA 1on1 são baseados unicamente no talento puro dos times, e não em uma previsão das campanhas de temporada regular das equipes.

1) Boston Celtics

Titulares: Rajon Rondo, Ray Allen, Paul Pierce, Kevin Garnett, Kendrick Perkins (Jermaine O’Neal)

Principais Reservas: Jermaine O’Neal, Shaquille O’Neal, Nate Robinson, Glen Davis, Dalonte West

Técnico: Doc Rivers

Saídas notáveis: Tony Allen, Rasheed Wallace

Principais reforços: Jermaine O’Neal, Shaquille O’Neal, Dalonte West, Von Wafer

Os campeões do Leste voltam ainda mais fortes e com mais experiência para a Temporada de 2010-2011. Após terem caído no decisivo Jogo 7 das Finais do ano passado para o Lakers, os Celtics não só mantiveram seu núcleo intacto como ainda adicionaram as Torres Gêmeas O’Neal para reforçar o já fortíssimo garrafão, bem como adicionaram poderio ofensivo, velocidade e atleticismo ao seu banco em Dalonte West e Von Wafer.

O único obstáculo entre este time e as Finais da NBA não é o Miami Heat, mas sim a saúde de seus principais jogadores. Se Kevin Garnett, Paul Pierce, Ray Allen e cia mantiverem-se saldáveis por boa parte da temporada – principalmente nos Playoffs – Boston será um time difícil de derrotar em uma série de 7 jogos.  Adicione a isso a evolução natural do jovem Rondo e a lendária frase de Rudolph Tomjanovich nunca fez mais sentido: “Nunca subestime o coração de um campeão!”

2) Miami Heat

Titulares: Mario Chalmers, Dwyane Wade, LeBron James, Chris Bosh, Udonis Haslem

Principais reservas: Mike Miller, Zydrunas Ilgauskas, Eddie House, Joel Anthony

Técnico: Erik Spoelstra (Pat Riley?)

Saídas notáveis: Jermaine O’Neal, Michael Beasley, Quentin Richardson, Daequan Cook

Principais reforços: LeBron James, Chris Bosh, Mike Miller, Zydrunas Ilgauskas, Eddie House, Juwan Howard

Além do óbvio “Trio de Miami”, como são agora chamados Wade, LeBron e Bosh, Pat Riley ainda fez um ótimo trabalho em cercar esse supremo núcleo com jogadores experientes e de qualidade como Ilgauskas e Howard e ótimos arremessadores, como House, Miller e James Jones.

Apesar destas adições, alguns fantasmas vão caçar o Heat nesta temporada. O maior deles é o responsável pela criação deste ótimo time, o pentacampeão da NBA como técnico, Pat Riley. A cada deslize do Heat os rumores de Riley assumir o banco por cima de Spoelstra ficarão mais fortes, perguntem a Stan Van Gundy. Outro problema será entrosamento. Terão Wade, James e Bosh a mesma maturidade de Pierce, Garnett e Allen na hora de dividir os arremessos e os holofotes? Terá Chalmers capacidade de distribuir o jogo de forma satisfatória para 3 estrelas?

3) Orlando Magic

Titulares: Jameer Nelson, JJ Redick, Vince Carter, Rashard Lewis, Dwight Howard

Principais reservas: Mickael Pietrus, Chris Duhon, Marcin Gortat, Quentin Richardson, Brandon Bass

Técnico: Stan Van Gundy

Saídas notáveis: Matt Barnes

Principais reforços: Chris Duhon, Quentin Richardson

O Orlando Magic, apesar de estar em terceiro lugar, não deve nada a time algum na NBA. Este é um time de elite o qual esteve uma vez nas Finais da NBA e duas vezes nas Finais de Conferência nas últimas duas temporadas. Ainda que já tivesse um núcleo sólido de jogadores em todas as posições, o Magic reforçou-se ainda mais nesta off-season e as adições de Duhon e Richardson solidificam ainda mais seu forte banco.

Infelizmente para Orlando, os seus pontos de interrogação são exatamente suas estrelas: Howard, Carter e Lewis. Howard, apesar de ser o melhor pivô da NBA, ainda precisa desenvolver um jogo ofensivo minimamente confiável e consistente. Nenhum time vence na NBA tendo um jogador unidimensional como estrela. Vince Carter, quem brilhou na temporada regular, literalmente amarelou nos Playoffs, sendo totalmente apagado pela defesa dos Celtics e pela pressão nas Finais de Conferência. Perder 2 lances-livres no final de um jogo decisivo é uma memória que os torcedores de Orlando não precisavam se lembrar, certo Nick Anderson? Outra estrela que tem amarelado no Magic é Rashard Lewis. Me desculpe Lewis, mas $110 milhões por 14 pontos por jogo e 4 rebotes por confronto afunda qualquer time.

4) Chicago Bulls

Titulares: Derrick Rose, Ronnie Brewer, Luol Deng, Carlos Boozer, Joakim Noah

Principais reservas: Kyle Korver, Taj Gibson, Kurt Thomas, C. J. Watson, Keith Bogans

Técnico: Tom Thibodeau

Saídas notáveis: Kirk Hinrich, Brad Miller

Principais reforços: Carlos Boozer, Ronnie Brewer, Kyle Korver, Kurt Thomas, C. J. Watson, Keith Bogans, Tom Thibodeau*

O Chicago Bulls, apesar de não ter conseguido assinar nenhum dos grandes free agents (Wade, LeBron, Bosh), fez um ótimo trabalho em assinar jogadores experientes e com muita qualidade, os quais completam o elenco de forma formidável, fazendo do Bulls um dos times mais equilibrados da NBA. Como se não bastassem as adições de jogadores, a equipe de Chicago ainda reforçou tremendamente seu banco com a adição de Tom Thibodeau – o guru defensivo por trás da defesa campeã da NBA em 2008 – como novo técnico da equipe. Se existe alguém que poderá tirar tudo desse grande elenco de Chicago, esse alguém é Thibodeau.

Sendo um dos únicos times de toda a NBA capaz de ter 3 jogadores no All Star Game, o Bulls terá como principal adversário suas próprias limitações. A forma como Rose, Boozer e Noah encaixarem seus jogos será fundamental para o resultado final do investimento que a equipe de Chicago fez. Apesar de ter uma das melhores defesas da NBA, esses Bulls irão tão longe quanto sua estrela em ascensão os levar. Derrick Rose já foi Campeão Mundial em 2010 com a Seleção dos EUA, será que ele conseguirá trazer a mesma glória para a Cidade do Vento?

5) Atlanta Hawks

Titulares: Mike Bibby, Joe Johnson, Marvin Williams, Josh Smith, Al Horford

Principais reservas: Jamal Crawford, Maurice Evans, Zaza Pachulia

Técnico: Larry Drew

Saídas notáveis: Joe Smith, Josh Childress

Principais reforços: Etan Thomas

O Atlanta Hawks é um dos times mais previsíveis da NBA. Digo isso porque a equipe de Atlanta tem um ótimo elenco, bem equilibrado, dotado de ótima qualidade em todas as posições e ainda detentor de um dos melhores bancos da liga, impulsionado principalmente pelo Reserva do Ano, Jamal Crawford. Isso os dará com certeza uma das 5 melhores campanhas da temporada regular e uma ou duas boas séries de Playoff. Ponto final. Simples assim.

A razão para a facilidade em prever a campanha da equipe de Atlanta é ao mesmo tempo sua força e sua fraqueza. Um elenco com a qualidade do Hawks garante mais de 50 vitórias na temporada regular e ao menos uma boa série de Playoffs, contudo, sua estrela Joe Johnson, apesar de ser o jogador mais bem pago da última free agency, não é bom o suficiente para elevar o Hawks ao nível dos 4 times acima, candidatos ao título do Leste. A controvérsia criada pela falta de interesse do time em estender o contrato do ótimo Jamal Crawford pode machucar a equipe do Hawks ao ponto desta perder a quinta posição para a forte equipe abaixo.

6) Milwaukee Bucks

Titulares: Brandon Jennings, Carlos Delfino, John Salmons, Luc Mbah a Moute, Andrew Bogut

Principais reservas: Corey Magguette, Earl Boykins, Michael Redd (?), Drew Gooden

Técnico: Scott Skiles

Saídas notáveis: Luke Ridnour, Kurt Thomas, Charlie Bell

Principais reforços: Corey Maggette, Earl Boykins, Drew Gooden

Dono de uma das melhores defesas da NBA, muito disso graças ao seu exigente técnico Scott Skiles, o Milwaukee Bucks promete brigar pelo título da Divisão Central com o Chicago Bulls. Uma peça chave para o sucesso do Bucks é um ex-jogador do Bulls, John Salmons, o qual foi adquirido pelo Milwaukee na temporada passada. O ala tem um histórico de jogar muito bem na sua primeira temporada com seus times e decair de produção nos anos seguintes. Outro ala fundamental para o sucesso ou fracasso do Bucks é a ex-estrela do time, Michael Redd. O cestinha vem machucado a anos e tentará mais uma vez voltar a jogar na NBA.

Falando em estrelas, o mesmo que foi dito a respeito de Derrick Rose e o Bulls vale para Brandon Jennings e o Bucks. O time de Skiles irá tão longe quanto sua jovem estrela os levar. Se o jovem armador conseguir demonstrar a mesma qualidade a qual demonstrou no seu ano de calouro, os torcedores do Bucks não tem com o que se preocupar. As adições de Maggette e Gooden fortalecem e muito o banco do Bucks.

7) Charlotte Bobcats

Titulares: D. J. Augustin, Stephen Jackson, Gerald Wallace, Boris Diaw, Nazr Mohammed (DeSagana Diop)

Principais reservas: DeSagana Diop, Tyrus Thomas, Kwame Brown, Gerald Henderson

Técnico: Larry Brown

Saídas notáveis: Tyson Chandler, Raymond Felton, Theo Ratliff

Principais reforços: Kwame Brown, Shaun Livingston, Matt Carroll, Eduardo Najera, Erick Dampier*

Comandados por um técnico do Hall da Fama, o especialista em defesa e campeão da NBA em 2004, Larry Brown, e pelo melhor jogador a pisar em uma quadra de basquete, o dono do time Michael Jordan, o Charlotte Bobcats tem tudo para repetir o feito da temporada passada e chegar aos Playoffs da NBA pela segunda vez em sua história. A excelente defesa do Bobcats e o sólido 1-2 formado por Jackson e Wallace são as chaves para o sucesso da equipe da Carolina do Norte.

Em seu favor o Bobcats tem ainda a competitividade de Michael Jordan. Não, ele não está ensaiando um novo retorno às quadras, todavia o envolvimento de Michael desde a compra do time tem sido excepcional. Jordan mudou a cultura em Charlotte e a equipe vem evoluindo em desempenho dentro de quadra e nas finanças fora dela. A única preocupação em Charlotte é a posição de pivô e o banco de reservas. Ambos precisam de uma melhora urgente. O problema do banco pode ser resolvido com evoluções de Henderson e Livingston, as quais devem acontecer.

8 ) New Jersey Nets

Titulares: Devin Harris, Terrence Williams, Travis Outlaw, Derrick Favors (Troy Murphy), Brook Lopez

Principais reservas: Anthony Morrow, Troy Murphy, Jordan Farmar, Joe Smith

Técnico: Avery Johnson

Saídas notáveis: Courtney Lee, Keyon Dooling

Principais reforços: Derrick Favors, Anthony Morrow, Troy Murphy, Jordan Farmar, Joe Smith, Avery Johnson*

Apesar de ter flertado com a pior campanha da história da NBA na temporada passada, eu lhes garanto que o New Jersey Nets não era e não é ruim como sua campanha passada. As chegadas de Avery Johnson para treinador, Favors e Outlaw para reforçar a equipe titular e Morrow, Murphy, Farmar e Smith para compor um forte banco fazem dos Nets candidatos fortes a uma das duas últimas vagas para os Playoffs no Leste.

Avery Johnson, dotado do mesmo estilo exigente e dedicado à defesa, muito parecido com Larry Brown e Scott Skiles, tem histórico de tirar o máximo de seus atletas em seu primeiro ano como treinador. Foi assim em 2006, no seu primeiro ano completo como treinador dos Mavs, quando Avery levou a equipe de Dallas para sua única Final da NBA na história do time. Além disso, os ares renovados proporcionados pelo novo dono, playboy bilionário Mikhail Prokhorov, e pela eminente mudança para a arena mais cara do mundo, sendo construída no Brooklyn devem impulsionar ainda mais jovem time do Nets, dotado de muito potencial.

9) New York Knicks

Titulares: Raymond Felton, Wilson Chandler, Danilo Gallinari, Anthony Randolph, Amar’e Stoudemire

Principais reservas: Roger Mason Jr., Kelenna Azubuike, Ronny Turiaf, Toney Douglas

Técnico: Mike D’Antoni

Saídas notáveis: David Lee, Chris Duhon, Al Harrington, Eddie House, Tracy McGrady

Principais reforços: Amar’e Stoudemire, Anthony Randolph, Raymond Felton, Roger Mason Jr., Kelenna Azubuike, Ronny Turiaf

Spike Lee e os demais torcedores dos Knicks terão muitos pontos de interrogação para o futuro da equipe da Big Apple. O primeiro deles é quanto à saúde/produção da nova estrela do time, Amar’e Stoudemire. Nós sabemos que Stat pode produzir muito no sistema de D’Antoni, contudo sem um armador do calibre de Nash e alguns anos mais velho e algumas cirurgias depois, não é certo o quanto Stoudemire ainda tem no tanque. Os jovens Randolph, Felton e Gallinari também são interrogações para o time de New York. Esses são jogadores tidos como futuras estrelas alguns anos atrás e até agora não mostraram nada mais do que potencial.

O bom cap space que os Knicks ainda tem, após falharem no recrutamento de LeBron, Wade e cia, é uma boa interrogação para a equipe. O fato de 3 All Stars estarem ligados à New York por rumores não é ruim. A soma de ambos pode trazer um futuro brilhante para a Cidade que Nunca Dorme. Imaginem um combo de Stoudemire, Carmelo Anthony e Chris Paul/Tony Parker? Infelizmente para a torcida do Knicks, este time tem mais interrogações do que certezas. A única certeza que os fiéis frequentadores do Madison Square Garden tem é de que seu time é finalmente competitivo, muito melhor do que o da temporada passada, e com sorte pode beliscar uma vaga nos Playoffs.

10) Washington Wizards

Titulares: John Wall, Gilbert Arenas, Al Thorton (Nick Young), JaVale McGee, Andray Blatche

Principais reservas: Nick Young, Kirk Hinrich, Josh Howard, Yi Jianlian

Técnico: Flip Saunders

Saídas notáveis: Earl Boykins, Mike Miller, Randy Foye

Principais reforços: John Wall, Gilbert Arenas*

Novo dono, nova estrela, novo recomeço para o Washington Wizards. Eu sei que os fãs do time da Capital Americana já estão cansados de recomeçar, mas depois do desastre da temporada passada – as armas de Arenas no vestiário do time e a suspensão do atleta por quase toda a temporada – e das saídas de Caron Butler e Antawn Jamison não existe outra forma de olhar para a situação em DC.

Ao menos neste recomeço os fãs de Washington têm de fato algo para comemorar. A equipe draftou o melhor prospecto do basquete mundial em John Wall e terá potencialmente a dupla de armadores mais dinâmica da NBA com Wall e Arenas. Assumindo que Arenas volte a jogar basquete, chamar esse novo combo de imparável não é exagero algum. O Wizards também tem potencial ilimitado no resto do seu elenco, nos jovens Thorton, McGee, Blatche, Young e Yi. A presença do bom veterano Hinrich certamente ajudará a manter o time na linha nesse novo início.

11) Philadelphia 76ers

Titulares: Jrue Holiday, Evan Turner, Andre Iguodala, Elton Brand, Marreese Speights

Principais reservas: Thaddeus Young, Louis Williams, Andres Noccioni, Spencer Hawes

Técnico: Doung Collins

Saídas notáveis: Allen Iverson, Samuel Dalembert

Principais reforços: Evan Turner, Andres Noccioni, Spencer Hawes, Doug Collins*

O bom filho à casa retorna. Doug Collins, campeão em Philadelphia como jogador e ex-treinador da equipe da cidade de Rocky Balboa volta ao comando dos 76ers com a missão de tirar o máximo do bom elenco, ao menos no papel, do Sixers. Em talento puro o Sixers está provavelmente à frente do Wizards e do Knicks, contudo a incapacidade em converter esse talento assumido para resultados nas quadras coloca o time de Philadelphia na décima-primeira posição.

Collins é conhecido por tirar o máximo de seus jogadores nas suas primeiras temporadas com um time, em muito como Larry Brown, Scott Skiles e Avery Johnson. Com a sua chegada a defesa so 76ers deve melhorar notavelmente. As adições do prospecto Turner e do experiente Noccioni com certeza produzirão efeitos imediatos, enquanto que a evolução natural de Speights, Young, Holiday e Williams trarão algumas vitórias a mais para esse time. A grande questão aqui é: conseguirão Elton Brand e Andre Iguodala produzir como verdadeiras estrelas? Eles com certeza são pagos como tal.

12) Indiana Pacers

Titulares: Darren Collison, Brandon Rush, James Posey, Danny Granger, Roy Hibbert

Principais reservas: TJ Ford, Dahntay Jones, Mike Dunleavy, Tyler Hansbrough

Técnico: Jim O’Brien

Saídas notáveis: Troy Murphy

Principais reforços: Darren Collison, James Posey, Dahntay Jones

O Indiana Pacers poderia estar mais acima neste Power Rankings se não fosse por 2 problemas: a lesão de seu promissor  armador Collison e a falta de um legítimo PF, o que resultará na estrela do time – o All Star Danny Granger – jogar fora de posição.

Fora destes problemas, os dirigentes de Indiana fizeram ótimas trocas trazendo Collison e Posey e assinando Jones. Estes dois últimos farão um combo de alas defensivos o qual poderá dar problemas para as estrelas dos times adversários. O Pacers estava inicialmente em 14º neste Ranking, contudo o NBA 1on1 acha que a adição de Collison os coloca automaticamente duas posições acima. O futuro dos Pacers está garantido com a juventude e potencial de Collison, Granger, Rush e Hibbert.

13) Cleveland Cavaliers

Titulares: Mo Williams, Ramon Sessions, Jamario Moon, JJ Hickson (Antawn Jamison), Anderson Varejão

Principais Reservas: Antawn Jamison, Anthony Parker, Daniel Gibson

Técnico: Byron Scott

Saídas notáveis: Lebron James, Shaquille O’Neal, Dalonte West, Zydrunas Ilgauskas,

Principais reforços: Ramon Sessions, Joey Graham, Byron Scott*

Não há time algum na NBA que esteja em modo “reconstrução” mais profundamente do que o Cleveland Cavaliers. Depois da facada nas costas dada no estado de Ohio inteiro, sem um pingo de misericórdia por parte do herói local LeBron James em um programa transmitido ao vivo para todo o mundo, não há como evitar a reconstrução.

Surpreendentemente, apesar da perda do imperdoável James e de outros 2 titulares – O’Neal e West – o elenco do Cavs ainda tem potencial para fazer uma campanha digna no Leste. Com  certeza a equipe não chegará nem perto das 61 vitórias do último ano, mas a rápida evolução de JJ Hickson e a capacidade do ótimo treinador Byron Scott em aproveitar melhor os talentos que restam em Cleveland mantém pelo menos a dignidade da franquia.

14) Toronto Raptors

Titulares: Jose Calderon, Leandro Barbosa, DeMar DeRozan, Amir Johnson (Linas Kleiza), Andrea Bargnani

Principais reservas: Linas Kleiza, Jarrett Jack, Julian Wright, Reggie Evans

Técnico: Sam Mitchell

Saídas notáveis: Chris Bosh, Hedo Turkoglu, Marco Belinelli

Principais reforços: Leandro Barbosa, Linas Kleiza, Amir Johnson

Desde início é bom clarificar que o Toronto Raptors só não é o lanterna da conferência – e talvez até da NBA – porque o Detroit Pistons é simplesmente uma grande trapalhada (mais sobre isso abaixo).

A perda de Chris Bosh fará alguma diferença, mas não tanto quanto todos pensam. O chamado “super-estrela” não foi capaz de levar os Raptors aos Playoffs com um bom time em volta dele nos últimos 2 anos, logo a vida dos torcedores de Toronto não mudará muito. Uma coisa que podia de fato ajudar o time do Canadá seria quem sabe contratar alguns jogadores americanos. Sério, pensem comigo, que time da NBA já ganhou alguma coisa com 4 jogadores estrangeiros entre os 5 titulares? O basquete mundial evoluiu nas últimas décadas mas a diretoria do Raptors está de brincadeira.

15) Detroit Pistons

Titulares: Rodney Stuckey, Richard Hamilton, Tayshaun Prince, Charlie Villanueva, Ben Wallace (Greg Monroe)

Principais reservas: Greg Monroe, Ben Gordon, Will Bynum, Tracy McGrady, Jason Maxiell

Técnico: John Kuester

Saídas notáveis: Kwame Brown

Principais reforços: Greg Monroe, Tracy McGrady

Finalmente chegamos à versão Leste do Minnesota Timberwolves. A proximidade geográfica das duas cidades piada da NBA e o mal clima por perto dos Grandes Lagos, somados à total incompetência dos dirigentes dessas duas equipes pode aumentar consideravelmente a taxa de suicídio da região centro-norte dos EUA.

Eu não sei ao certo com quantas bolas Joe Dumars acha que seu time poderá jogar basquete nesta temporada, pois uma não é suficiente para Gordon, McGrady, Hamilton, Stuckey, Bynum, Prince, Villanueva, Daye e cia. Este é um time que não tem um distribuidor de bola capaz e nem um pivô minimamente produtivo. Detroit tem, contudo, a maior porcentagem de alas por metro quadrado na NBA – muito parecido com o Wolves e seus 357 armadores. A química neste time é totalmente inexistente. O Pistons tem campeões da NBA envelhecidos e desmotivados em Prince, Hamilton e Wallace, jogadores exclusivamente ofensivos em Stuckey, Gordon, Villanueva e Bynum e pra fechar o caixão da Motown, os gênios da diretoria de Detroit assinaram um pesadelo para a química de qualquer time em Tracy McGrady – uma ex-estrela que não entende que seu tempo de alpha dog é passado – Allen Iverson vem à mente. Eu sinto pena do pobre Greg Monroe por ter caído nesta bagunça. Esperamos que esta experiência não marque negativamente o jovem pivô para o resto de sua carreira na NBA.

Jay Ernani

Concorda? Discorda? Deixe seu comentário abaixo!

3 Comentários leave one →
  1. 16/09/2010 19:43

    Belo Trabalho! Continuem atualizando , nós , os leitores , reconhecemos o profissionalismo e a excelência de vocês.

    • Jay Ernani permalink*
      17/09/2010 01:00

      Caro Carlos Eduardo,

      Nós ficamos muito felizes com o seu apreço pelo nosso trabalho. Nós amamos o basquete – principalmente a NBA – e escrever sobre isso é um prazer para nós. O nosso trabalho se torna mais gratificante ainda quando recebemos feedback dos nossos leitores.

      Agradecemos pela sua preferência e pelo seu comentário. Sugestões, críticas, comentários em geral são sempre bem vindos. E fique ligado porque na segunda-feira começaremos as análises time-a-time do que se pode esperar de cada equipe para a temporada 2010-2011, a qual está a menos de 2 meses de começar. As previsões serão artigos de pequeno-médio porte postados diariamente nas próximas semanas, fique ligado no NBA 1on1.

      Jay Ernani.

      https://nba1on1.wordpress.com/ Onde o melhor basquete do mundo acontece!

Trackbacks

  1. Preview 2010-2011: Boston Celtics « NBA 1 on 1

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: