Skip to content

Top 10 Point Guards

30/09/2010

O tipoff está dado para a tão esperada "Série Top 10" do NBA 1on1! Nós começamos pelos generais dentro da quadra, aqueles que iniciam todas as jogadas, os Armadores.

O tipoff está dado para a tão esperada "Série Top 10" do NBA 1on1! Nós começamos pelos generais dentro da quadra, aqueles que iniciam todas as jogadas, os Armadores.

Correndo por fora

Jason Kidd

O Mr. Triplo-Duplo não poderia ficar de fora dessa lista, mesmo não chegando de fato no Top 10. Como bem diz seu apelido, Kidd é o 3° na história da NBA em número total de triplos-duplos com 105 na carreira. Além disso, o armador do Dallas é – e tem sido ao longo de toda sua carreira – um dos melhores armadores jogando em velocidade, nos contra-ataques. Esse fato é mais do que comprovado pelas 10.923 assistências que Kidd tem em sua carreira, o 2° de todos os tempos nesse fundamento. As estatísticas e a beleza de seu jogo são motivos de sobra para a menção feita a Jason Kidd dentre os melhores armadores de todos da história.

Mark Jackson

Apenas dois homens deram mais assistências em suas carreiras do que as 10.334 do grande Mark Jackson: Jason Kidd e John Stockton. Magic Johnson vêm logo atrás de Jackson, fechando o seleto grupo de jogadores com mais de 10 mil assistências nos 64 anos de vida da NBA. Jackson sempre foi o protótipo do verdadeiro armador. Grande defensor, excelente distribuidor, ele manteve suas equipes sempre unidas e disputando o título da NBA. As torcidas do New York Knicks e do Indiana Pacers nunca esquecerão de um dos maiores armadores da história da NBA.

Tim Hardaway

Quando após quase uma década de sua aposentadoria os maiores jogadores do mundo ainda usam seu nome como referência para um dos dribles mais usados do jogo, você merece menção dentre os maiores de todos os tempos. Ponto. O Drible Tim Hardaway foi praticamente criado pelo ex-amador do Miami Heat, pois foi assistindo a Hardaway que muitos jogadores passaram a usar a jogada. Para os mais novos, pensem no jovem Allen Iverson e vocês terão uma noçao da habilidade de Hardaway. Além do famoso drible, Hardaway ficou também conhecido por sua ótima defesa, sendo o recordista de roubos em um jogo de Playoff por muitos anos, conseguindo em 2 ocasiões 8 roubos, até que o acima mencionado Iverson bateu seu record, atingindo a marca de 10 roubos de bola em um jogo de Playoff.

Top 10

10° Colocado – Steve Nash

Um verdadeiro monstro no contra-ataque, Steve Nash agarra a 10ª posição dentre os armadores em função de seu talento, seu legado e suas conquistas. Apesar de não ter os mesmos números de Kidd ou de Jackson, e nem ter um drible apelidado com seu nome, Nash está entre os maiores armadores da história tanto do Phoenix Suns quanto do Dallas Mavericks. A causa motora para o sucesso de ambas as equipes em sua passagem por elas, o canadense não só sabe jogar como ninguém no contra-ataque como também é uma arma letal na meia-quadra.

Além de ótimo distribuidor de bolas, Steve é ainda um excelente arremessador, com média de 41% de acerto em arremessos de 3 pontos – 7ª melhor da história da NBA – e com média de quase 90% em lances livres3ª melhor marca da história – Nash fez por merecer seus 2 prêmios de MVP em 2005 e 2006, liderando um dos times mais eletrizantes da história da NBA. De quebra, as 8397 assistências da carreira de Steve Nash o deixam bem posicionado na 8ª posição de todos os tempos neste fundamento. Não restam dúvidas de que Nash merece o lugar em que está nesta lista.

9° Colocado – Lenny Wilkens

Ser selecionado para o Hall da Fama uma vez é uma honra para poucos na história da NBA. Lenny Wilkens foi escolhido duas vezes – uma como jogador (1989) e outra como treinador (1998) – e esta é uma honra que apenas duas outras lendas do basquete tiveram, John Wooden e Bill Sharman.

9 vezes All-Star, Wilkens foi escolhido como um dos 50 melhores jogadores da História da NBA. Canhoto, conhecido por seu estilo não-egoísta de jogo, Lenny é o 11° na lista de assistências dadas, com 7.211 em sua gloriosa carreira. De quebra, Wilkens ainda é o segundo treinador com mais vitórias na carreira, com 1.332 jogos ganhos.

8° Colocado – Gary Payton

Poucos na História da NBA chegam à honra de terminarem suas carreiras entre os 10 melhores em algum dos 5 fundamentos. Gary Payton conseguiu terminar a sua grande trajetória na Liga entre os 7 melhores em 2 fundamentos! Com 8.966 assistências – 7° na história da NBA – e 2.445 roubos – 3° de todos os tempos, atrás apenas de Michael Jordan e John Stockton – a Luva, como Payton ficou conhecido por suas ágeis mãos que pareciam grudar na bola ao interceptar passes e desmontar dribles, fez também uma das duplas mais eletrizantes já vista no basquete. O Seattle SuperSonics (hoje Oklahoma City Thunder) viu seus melhores dias quando Payton e Kemp davam as cartas na cidade da chuva.

Rápido, explosivo, bom arremessador, ótimo distribuidor e supremo defensor, Gary Payton conseguiu no fim de sua carreira, já desprovido de muitos destes atributos, vencer um título da NBA em 2006 com o Miami Heat. Vencedor ainda do prêmio de Jogador de Defesa do Ano em 1996, Payton é mais do que credenciado para o 8° lugar deste ranking.

7° Colocado – Nate Archibald

Todos, em alguma medida, querem ser lembrados como únicos em algo. No mundo isto já é difícil e quando tomamos o escopo de uma liga tão rica em talento e história como a NBA, ser o único em algum aspecto do jogo é sensacional. “Tiny” Nate Archibald mantém-se a quase 40 anos como o único jogador na história do basquete profissional americano a liderar a liga em pontos e em assistências em uma mesma temporada. Em 1972-1973 Tiny teve média de 34 pontos por jogo, além de distribuir 11,4 assistências por confronto, liderando a liga em ambos.

Campeão da NBA em 1980 com o Boston Celtics, o 6 vezes All-Star Archibald nunca será esquecido por sua velocidade, sua criatividade e seu imensurável talento. O pequeno Archie – significado de seu apelido – conquistou, ao alto de seu 1,81 m de altura, picos que homens mais altos nunca chegaram perto de conseguir. Tudo isso veio graças à persistência e à força de vontade de Nate, que nunca desistiu de seu sonho de ser um jogador da NBA. Ele não é só um dos melhores armadores da história, é também um dos melhores baixinhos que a NBA já viu.

6° Colocado – John Stockton

Começa aqui a parte da lista na qual cada nome que não aparece na 1ª posição parece ser uma heresia. Esse certamente é o caso com John Stockton. Baixinho como Tiny Archie, Stockton é o único jogador que lidera 2 fundamentos na lista geral da NBA. Com 15.806 assistências – 5 mil a mais que o 2° colocado – e 3.265 roubos de bola, John Stockton consolidou-se como o exemplo de um verdadeiro armador.

Os feitos de Stockton não param por aí. Ele levou o Utah Jazz aos Playoffs da NBA em todas as 19 temporadas nas quais ele defendeu o time de Salt Lake City. Mais impressionante ainda é a raça e vontade de jogar de John. Ele atingiu a incrível marca de participar de todos os jogos de seu time em 17 das 19 temporadas as quais ele jogou na NBA. Esse é um feito incrível, ainda mais para um jogador magricelo e baixinho em um mundo de gigantes fortes. Tido por muitos como o detentor do melhor passe que o basquete já viu, John Stockton ainda era um arremessador de elite, mantendo a fantástica média de 52% de acerto em seus arremessos em sua carreira.

Ninguém nunca pensou que Stockton seria tão bom, e – em virtude de seu amor pelo jogo – ele chegou muito perto de ser o melhor armador de todos os tempos. Ele é o maior exemplo de que o jogo de basquete começa e termina sempre com fundamentos básicos do jogo, não nas jogadas de efeito.

5° Colocado – Oscar Robertson

O original Mr. Triple-Double do basquete abre o Top 5 e, assim como Stockton, não ficou melhor posicionado mais em virtude da falta de sucesso coletivo de seus times do que em seu talento. Oscar Robertson é o único homem o qual teve um triplo-duplo de média em uma temporada. Em apenas seu 2° ano na NBA, o Big O teve médias de 31 pontos, 13 rebotes e 11 assistências por jogo. É desnecessário apontar que ele é o líder absoluto em triplos-duplos na história da NBA, com absurdos 181.

Robertson ainda detém a marca de cestinha de todos os tempos entre armadores com 26.710 pontos. Essa marca é a 9ª melhor dentre todos os jogadores na história da NBA. Com 9.887 assistências, Oscar é o 5° maior distribuidor de todos os tempos. E vale ressaltar que ele conseguiu esse número em uma época em que a NBA era bem mais rigorosa no conceito de assistências.

Oscar Robertson é o sinônimo de um jogador completo. Suas habilidades individuais com certeza o colocam não só na discussão de melhor armador de todos os tempos como também na de melhor jogador da história. Porém, sendo apenas coadjuvante em seu único título da NBA em 1971, o MVP da temporada de 1964 não conseguiu ir além da quinta posição entre os melhores Point Guards da História da NBA.

4° Colocado – Walt Frazier

O melhor defensor da história da NBA dentre os armadores. Apenas este fato já credenciaria Walt Frazier para ser parte desta lista de lendas. Clyde – como era conhecido por seu estilo – foi um supremo defensor e peça chave para os 2 títulos da NBA conquistados pelo New York Knicks em 1970 e 1973. Em 70, no decisivo Jogo 7 das Finais da NBA – contra um dos maiores pivôs de todos os tempos em Wilt Chamberlain e um dos melhores ala-armadores da história em Jerry West – Frazier carregou New York ao título sobre os Lakers com 36 pontos, 19 assistências, 7 rebotes e 5 roubos de bola.

Walt, um jogador extremamente não-egoísta, provavelmente seria o líder em roubos de bola de todos os tempos caso estes fossem computados para estatísticas naquele tempo. O mesmo vale para Bill Russell e tocos, os quais também não eram computados até a temporada de 1974. Clyde ainda foi o jogador mais votado para o Time de Defesa das temporadas 69 e 70, ganhando mais votos em 69 até do que a lenda Bill Russell.

Uma lenda viva dos Knicks e da NBA, Walt “Clyde” Frazier reivindica o 4° lugar no ranking dos maiores armadores de todos os tempos com segurança e firmeza, as quais ele demonstrou ao longo de sua carreira em suas fascinantes infiltrações, em seu passe admirável e em sua defesa impecável. Se New York é a Mecca do basquete, Clyde é o seu messias, já que ao se aposentar ele era o recordista de pontos, assistências e jogos no time dos Knicks (e possivelmente líder em roubos de bola*).

3° Colocado – Isiah Thomas

O bad boy dos Pistons é o melhor baixinho da história do basquete. Com 1,80 de altura Isiah Thomas fez o que ninguém mais fez na história da NBA: levou seu time ao bicampeonato da NBA em 1989 e 1990. Digo que “fez o que ninguém mais fez” porque nenhum outro baixinho conseguiu o feito de Thomas, ser a estrela de seu time e ser campeão da NBA. Mais pontos são contados para o lado de Isiah se lembrarmos que seus 2 títulos foram conquistados em um período no qual Michael Jordan, Larry Bird, Magic Johnson, James Worthy, Dominique Wilkens, John Stockton, entre outras lendas da do basquete, estavam no auge de suas carreiras ou próximos dele.

Isiah Thomas foi um dos melhores distribuidores de bola da história da NBA e não só ele fazia isso extremamente bem como também o fazia com estilo incomparável. A qualidade de seu passe é provada por suas 9.061 assistências na carreira, 6ª melhor marca da história. Seu drible tinha qualidade invejável e, aliado a sua excepcional velocidade e agilidade, faziam de Thomas uma arma perfeita na infiltração. Como se não bastasse o passe, o drible e a infiltração, Isiah era ainda um ótimo arremessador. Marcar o pequeno Zeque sempre foi uma tarefa próxima de impossível em função da combinação única de habilidades a qual ele possuia.

A soma da velocidade de Tiny Archie, do passe de Stockton, da infiltração de Frazier, do atleticismo de Payton e da habilidade de dominar os contra-ataques de Nash e Kidd fizeram Zeke ser possivelmente o melhor armador ofensivo de todos os tempos. Isiah Thomas agarra o 3° lugar deste ranking sem dó nem piedade quando encerramos seu caso com as médias de sua carreira, 19,2 pontos e 9,3 assistências ao longo de seus 979 jogos na NBA. Ninguém neste ranking manteve durante tanto tempo – quase mil jogos – médias tão próximas de quase 20 pontos e 10 assistências por confronto.

2° Colocado – Bob Cousy

Um mago. É assim que ex-companheiros de time e adversários descrevem Bob Cousy. Os fans de basquete com certeza já deram um passe por trás das costas ou ao menos já viram alguém fazê-lo. Lindo lance não? Pois o inventor desta jogada foi Bob Cousy. O primeiro armador puro da história não só da NBA mas também do basquete.

Se Bill Russell era um gênio da defesa naqueles grandes times campeões de Boston nos anos 50 e 60, Cousy era seu correspondente no ataque. O basquete como nós conhecemos hoje, principalmente dos armadores habilidosos como Allen Iverson, Chris Paul, Rajon Rondo, e mesmo lendas como Magic Johnson, Walt Frazier e todo o resto desta lista, não seria o mesmo tivesse Cousy não existido. O conceito de que o vencedor é aquele que faz seus colegas de time melhores nasceu junto com a carreira deste homem.

Entrar nas estatísticas com o Houdini das Quadras – como Cousy era conhecido em virtude de seu arsenal ofensivo nunca antes visto – é simplesmente covardia. O eterno camisa 14 do Celtics foi hexacampeão da NBA, conquistou o prêmio de MVP em 1957 – ano do primeiro de seus 6 títulos – e ainda foi escolhido 10 vezes seguidas para o time dos 5 melhores jogadores da temporada na NBA. As suas 6.955 assistências com certeza têm valor muito maior do que o de hoje, pois, como já foi mencionado, os critérios para assistências eram muito mais rígidos antigamente. Por muitas décadas Cousy foi considerado o maior de todos os tempos e se não fosse pelo nosso número 1 ele ainda seria.

1° Colocado – Magic Johnson

Curiosamente a 1ª posição do ranking dos 10 melhores Point Guards da história foi a mais fácil de definir. Isso não é menosprezar as grandes lendas das quadras acima analisadas, e sim para salientar o quão fantástico Earvin “Magic” Johnson foi. Livros já foram escritos em homenagem ao talento de Magic, logo este artigo será demasiadamente curto para demonstrar a grandeza do nosso campeão, contudo, nós tentaremos!

Tudo começa pelo nome. Quando um apelido incorpora-se ao nome de alguém e este apelido é “Mágico”, já se pode ter uma idéia da inacreditável qualidade do indivíduo. Magic Johnson ganhou sua alcunha em muito por seus fantásticos passes. O que Magic fazia com uma bola de basquete nunca tinha sido visto antes e desde sua aposentadoria nunca mais foi visto. Faltam adjetivos para descrever a qualidade de Johnson com a bola na mão. Das suas 10.141 assistências – 4ª melhor marca da história – , a grande maioria adveio de passes que jogadores profissionais passam anos sem conseguir replicar.

Ainda em nomes, o “Showtime” Lakers não teria “Show” sem Magic comandando os contra-ataques. Esqueça Nash e Kidd, ninguém nunca comandou um contra-ataque com a mesma categoria e efetividade de Johnson. São nestes contra-golpes que nós encontramos os momentos mais fantásticos de Magic, lances que nós espectadores precisamos assistir mais de uma vez para sequer entender o que ele fez. Saber como ele fez é somente explicado por mágica.

Em sua carreira, Magic Johnson foi ainda creditado por algumas façanhas de se tirar o chapéu. A mais incrível delas veio ainda em seu ano de calouro, com apenas 20 anos de idade, no decisivo Jogo 6 das Finais da NBA contra o Philadelphia Sixers, em 1980. Kareem Abdul-Jabbar, o pivô e estrela do time, se machucou no Jogo 5 e não tinha condições de jogar. O novato armador Magic entra na posição de pivô para substituir Kareem. O resultado foi uma das mais inacreditáveis performances da história da NBA. Johnson fez virtualmente tudo que LA precisou para vencer e com seus 42 pontos, 15 rebotes, 7 assistências e 3 roubos trouxe para Los Angeles o título de 1980 e ainda recebeu o prêmio de MVP das Finais, nunca antes dado a um calouro. Magic permanece como o único a atingir tal façanha.

Em sua carreira, Johnson venceu 5 títulos da NBA, foi escolhido 3 vezes MVP da temporada e ainda outras 3 vezes o MVP das Finais. As médias de 20 pontos, 11 assistências, 7 rebotes e 2 roubos por confronto o colocam em uma classe à parte do resto dos jogadores. Suas porcentagens de 52% de acertos em arremessos e 30% em chutes de 3 apenas completam de forma enfática seu fantástico currículo.  Seus 138 triplos-duplos o deixam atrás apenas do homem o qual é conhecido por Mr. Triplo-Duplo, Oscar Robertson.

Como se isso já não fosse o bastante para fazer de Magic o melhor point guard de todos os tempos, a ele é creditada a salvação da NBA, juntamente com Larry Bird. Foi com a entrada dessas lendas na liga que a NBA saiu de profundos problemas financeiros e de audiência. A rivalidade limpa a qual eles cultivaram desde seus confrontos da universidade recapturou a atenção dos fans para a liga de basquete profissional, e elevou a NBA a alturas que somente Michael Jordan conseguiu superar. É seguro dizer que sem Earvin Magic Johnson nós poderíamos estar hoje sem a NBA. Se os motivos acima não credenciavam Magic como o maior armador de todos os tempos, esse fato não só lhe confere o troféu de 1° colocado, como também o torna o campeão absoluto na categoria dos point guards!

Insuperável, incomparável, único, Magic.

Jay Ernani.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: